MENUMENU

ARQUITETURA

"Do Conceito à Pratica”

PETER ZUMTHOR

Peter Zumthor foi um dos arquitetos mais influentes do século XX. Nascido na cidade da Basileia – Suiça, ele ficou conhecido por suas estruturas atemporais, poéticas e minimalistas, tendo sido agraciado com o prêmio de Pritzker no ano de 2009 e com a medalha de ouro do prêmio RIBA em 2013.  

Zumthor estudou arquitetura de interiores no Pratt Institute de Nova York e na Schule für Gestaltung na sua cidade natal. Cresceu seguindo os passos de seu pai, que era marceneiro, o que fez obter ampla experiência com matéria-prima rústica e metodologias que lhe permitiram assumir projetos de cunho modernista. 

Bregenz Art Museum Peter Zumthor

Em 1979, inaugurou seu próprio Atelier, na cidade de Haudenstein – Suiça. Seus projetos mais conhecidos são o Kunsthaus Bregenz, na Áustria, os banhos termais de Vals, na Suíça, e o Kolumba, em Colônia.

No artigo, iremos contextualizar os movimentos estéticos que influenciaram Peter Zumthor e falar sobre algumas de suas características.

Clique nas imagens para acessar as obras através do google maps.

Qual movimento estético a influenciou?

PETER ZUMTHOR

O arquiteto iniciou suas atividades no período em que o espírito alemão do modernismo e da Bauhaus, que em função da guerra haviam se movido para America, se mantivera intacto na Suiça. 

Dentro deste contexto, o arquiteto herda suas primeiras influências e inicia seus trabalhos no final da década de 1960. Este período coincide também com o inicio da expansão de heterogeneidade dos espaços urbanos e com o desaparecimento gradativo de fundos paisagísticos. 

Tal fato faz com que surja dentro do meio arquitetônico, na visão de Peter, uma crise ou perda do significado das construções das obras em si. Com isso o arquiteto começa a gerar um chamado dentro da arquitetura, para redescobrir a essência da mesma, reconectando os valores originais e recriando atmosfera e lugares, os quais, no seu entendimento, haviam perdido todo o sentido.

Esse pensamento faz com que o Peter Zumthor comece a buscar por meio da criação das suas obras, uma relação imediata do homem, obra e meio ambiente; um relacionamento emocional, com espaço e matéria, calor e luz, sons e cheiros. É um relacionamento que envolve todo o nosso ser e traz o nosso estado interior em harmonia com o que nos rodeia. 

É um contra-movimento a padronização vigente pregada pelo modernismo e principalmente pela Bauhaus, que foram as primeiras influências do arquiteto, e que faz ele seguir para um caminho totalmente próprio, migrando do movimento estético moderno para se enquadrar, atualmente, como um arquiteto contemporâneo. 

 

 

“As idéias nunca são perdidas. De certa forma, depois de encontrar alguma coisa, como um arquiteto, você sempre poderá pensar sobre isso novamente. “

 

Peter Zumthor
Arquiteto

Como ela desenvolveu seu próprio estilo?

PETER ZUMTHOR

As obras de Zumthor se distinguem por uma sóbria funcionalidade e por um profundo respeito pelo entorno. A escolha dos materiais assim como a qualidade e a atmosfera dos espaços são muito importantes para o arquiteto suíço.

Ele é considerado por muitos a representação do conceito de artista-arquiteto. Vale destacar, que Zumthor sempre foi altamente seletivo na escolha de seus projetos, pois desde quando fundou seu atelier em 1979, o arquiteto suíço só completou cerca de 30 edifícios.

Peter Zumthor intencionalmente manteve seu escritório enxuto para que ele pudesse estar intimamente envolvido com todos os elementos de planejamento e construção na sua busca por um respeito pelo local e pelos materiais. 

Seu estilo sempre se baseou no estudo dos materiais, técnicas e no contexto da paisagem. Ele trabalha com a sinestesia, onde há uma preocupação com o estrutural do edifício e com as sensações que se geram dentro e fora dele. Busca projetar que a edificação se una de forma natural com a figura e história do lugar. 

É uma busca constante para dar um significado verdadeiro a experiência e ao lugar. É como se cada projeto seguisse rigorosos e eficazes traços, denotando uma capacidade de em cada obra dotá-la de uma “alma”, uma espiritualidade, algo profundamente íntimo refletindo uma interpretação do mundo e das coisas que nos rodeiam com uma sensível simplicidade.

Como a obra de Peter Zumthor
inspira a senplo™

•   O retorno de valores do passado

•   A atemporalidade no design 

•   A conexão cultural com uma visão global.

Produtos Relacionados

Explore aqui os produtos relacionados para facilitar a sua busca caso tenha se interessado por algum item apresentado nesta matéria. 

MATÉRIAS RELACIONADAS