MENUMENU

ARQUITETURA | 2019

Frank Gehry:
A justaposição entre as formas
rígidas e fluidas

  • Tempo de Leitura Aproximada : 7 Minutos

O arquiteto Frank Gehry com linhas ousadas, bem como uma arquitetura pós-modernista ligada ao desconstrutivismo, se tornou um dos arquitetos mais conhecidos e aclamados do século XX. 

 

Sua genialidade foi reconhecida sobretudo com o prêmio Pritzker, o “Nobel da arquitetura”, concebido a profissionais que se empenharam em construções inovadoras. 

 

Ephraim Owen Goldberg, que posteriormente mudou seu nome para Frank Owen Gehry, nasceu em Toronto, no Canadá. Naturalizado norte-americano mudou-se aos 17 anos para Los Angeles na Califórnia (EUA), cidade onde se formou na Universidade do Sul da Califórnia. 

 

Logo depois, Gehry também estudou na famosa Universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts (EUA).

Frank Gehry Retrato

“Arquitetura deve falar de seu tempo e lugar, porém anseia por intemporalidade.”

Frank Gehry

ARQUITETo

Após passar por diferentes empresas do segmento, em 1962 criou então o escritório que leva seu nome: “Frank O. Gehry & Associates Inc”. Mas, foi só depois de dez anos que repercutiu no cenário da arquitetura com a coleção de móveis “Easy Edges”, em que a madeira era a principal matéria prima. 

 

Entre os anos de 1970 e 80, Frank Gehry desenvolveu projetos de casas principalmente nas cidades de Los Angeles e Santa Mônica.

 

Porém, foram suas ousadas construções públicas que o fizeram se eternizar dentro da arquitetura pós-modernista. Por outro lado, ele também foi reverberado pelo design arrojado, estruturas curvas e pelo uso inventivo de diferentes materiais.

Sobre o que iremos falar neste artigo

VOCÊ PODE SE INTERESSAR TAMBÉM 

Matérias relacionadas

Conheça algumas obras do arquiteto Frank Lloyd Wright, criador da arquitetura orgânica, movimento estético nascido que surgiu no século XX.

Rainha das curvas, é assim que Zaha Hadid é conhecida por conta das obras elegantes e complexas que construiu pelo mundo.

Conheça o arquiteto Santiago Calatrava, expoente da chamada “arquitetura-espetáculo”, devido aos seus projetos visionários que trazem o vidro e aço aplicados como esculturas gigantes e a incessante busca pelo novo.

Conheça os traços de Renzo Piano, arquiteto que tem no seu DNA obras inovadoras e completas em diversidade de escalas, materiais e formas.

Qual movimento estético influenciou o arquiteto?

Como oposição ao desenho linear e formas retilíneas nas construções modernas, surgiu por consequência, em meados dos anos 1970, o movimento desconstrutivista. Ele nasceu com o propósito de quebrar as regras da arquitetura tradicional, guiada pela geometria simétrica e plana, que foi muito difundida pela escola Bauhaus no início do século passado.  

 

Nomes como por exemplo, Coop Himmelblau (Áustria), Bernard Tschumi (Suiça) e Peter Eisenman (EUA) marcam o início do movimento. 

 

Nesse sentido, o desconstrutivismo está presente no trabalho de Frank Gehry. Além disso, ele está sempre aberto para experimentações ao usar linhas curvas e formatos inusitados que fogem do lugar comum. Desta forma, ele acaba compondo uma arquitetura formalista e escultural com formas complexas e elementos ousados e controversos.

 

Alguns dos edifícios mais emblemáticos do século XX, que remetem ao desconstrutivismo, foram projetados por Frank O. Gehry, e como resultado mudaram a história da arquitetura em todo o mundo. 

 

Como Frank Gehry desenvolveu seu próprio estilo?

Frank Gehry possui um estilo considerado pós-moderno e desconstrutivista. Em outras palavras, ele acaba constituindo-se como uma rejeição ao minimalismo. 

 

Nesse ínterim, em boa parte de suas obras, ele adotou a preferência pelo estilo internacional. Desse modo, ele acaba optando por materiais baratos feitos pelo homem, como o compensado bruto, metal corrugado e elo da cadeia. Ademais, seu exercício de “arquitetura barata” tornou-se uma das assinaturas de suas obras.

 

Sobre seu processo criativo, ele inicia com o planejamento das edificações com traços abstratos no papel. A partir do desenho, constrói uma maquete com papelão ou cartolina, mas só depois de uma segunda versão de maquete em madeira que o projeto é computadorizado. 

 

Por fim, com as maquetes tridimensionais ele pode avaliar cada curva e traço pensado para obra.

Esteticamente, parece que suas obras sempre estão em movimento, pois parece  uma nova ordem dentro da desordem. 

 

E ele faz isso através de traços heterogêneas, quase que deformados, onde suas estruturas se tornam parte de fragmentos, pois não seguem uma função clara. 

 

Desta forma, o arquiteto intriga os espectadores em seus projetos únicos que rompem com o tradicional. 

 

Ele defende que os arquitetos devem acreditar principalmente no potencial da arquitetura para transformar, iluminar e enriquecer a experiência humana. Premissa que sustenta em suas obras que misturam beleza e ao mesmo tempo tecnologia e criações ousadas.

•   A busca por inovação e beleza

•   A justaposição entre as formas rígidas e fluidas

•   A desconstrução do óbvio em busca da construção do inusitado.

Como a obra de
Frank Gehry
inspira a senplo

Siga a Senplo nas redes sociais:

Continue Lendo

Explore nossa seção de conteúdo com artigos relacionados a arquitetura, desing, estilo, moda, conceito e muito mais!!