MENUMENU

ARQUITETURA | 2019

Lina Bo Bardi
Principais Obras :
"A busca por formas híbridas"

  • Tempo de Leitura Aproximada : 7 Minutos

Lina Bo Bardi, arquiteta brasileira de origem italiana, foi um dos principais nomes da arquitetura moderna do Brasil no século XX. Ao longo de uma carreira de aproximadamente 40 anos no pais, Lina desenvolveu desde estruturas modernistas de concreto e vidro até mobiliário e joias.

 

Ao longo da sua vida, a arquiteta desenvolveu uma abordagem criativa que lhe era única, de colocar o significado social da construção e suas raízes culturais no centro do empreendimento arquitetônico

 

Em sua essência, Lina utilizou a simplicidade do Modernismo na arquitetura e a transformou em um diálogo entre o moderno e o popular, criando uma linguagem distinta. 

Principais Obras – Lina Bo Bardi

VOCÊ PODE SE INTERESSAR TAMBÉM 

Matérias relacionadas

Conheça a história de Ludwig Mies van der Rohe, arquiteto alemão conhecido por suas formas retilíneas trabalhadas com simplicidade e elegância.

O pensamento de Lina Bo Bardi teceu uma trajetória em volta da cultura moderna, materializada na comunicação entre inovação, tradição, abstração e realismo.

As obras de Paulo Mendes da Rocha são marcadas como um exemplo do pensamento estético que caracteriza a chamada Escola Paulista da arquitetura brasileira.

A vida de Oscar Niemeyer, arquiteto que desafiou a lógica e criou obras com formas leves e estáveis imprimindo inventabilidade na maneira de construir

1. Sesc Pompeia (1982) -São Paulo – Brasil

O Sesc Pompéia foi projetado na década de 1970. É uma das mais importantes obras na carreira de Lina Bo Bardi e foi uma adaptação de uma antiga fábrica de tambores, localizada na Vila Pompeia, bairro operário da época na cidade de São Paulo. 

 

Nesta obra, arquiteta soube preservar os elementos e características originais do local (os galpões de uma fábrica e até um córrego) com a imponência das três torres principais que possuem aspecto de um prisma estreito, um prisma largo e um cilindro estreito

 

Toda estrutura foi moldada em concreto aparente e destinadas a abrigar atividades esportivas, bibliotecas, exposições, entre outras atividades culturais que tornam o SESC Pompeia um ponto de encontro dos paulistanos

 

Os ambientes da obra até hoje parecem inacabados – Lina dizia que eram “feios” mesmo – com o propósito de serem construídos e reconstruídos quando fosse preciso, para que a arquitetura pudesse ganhar novos significados. 

 

Para muitos críticos, o SESC Pompeia é considerado a grande obra da vida de Lina Bo Bardi. Uma antiga fábrica desativada, que não atendia mais ao propósito para o qual havia sido projetada, renasce com toques marcantes. 

2. Casa de Vidro (1951) –São Paulo – Brasil

A casa de vidro foi a primeira obra construída por Lina Bo Bardi no Brasil. Ela também é considerada a primeira residência erguida no tradicional bairro do Morumbi em São Paulo. A arquiteta projetou a casa para morar com seu marido, onde viveram por lá por aproximadamente 4 décadas. 

 

A residência foi construída no alto de uma colina, em cima de um terreno de 7.000 metros quadrados, apoiada sobre pilares esbeltos e com extensos panos de vidro ao longo de toda a fachada. A residência parece flutuar sobre a vegetação do entorno

 

Vale ressaltar, que além do projeto arquitetônico, Lina concebeu parte dos mobiliários que compõe os interiores, maçanetas, mobiliário e até mesmo objetos. 

 

A Casa de Vidro é uma das principais obras do modernismo brasileiro, com clara inspiração na cultura do pais, é um espaço que compila a vida doméstica com o mundo natural, gerando uma harmonia visível e experiencial entre o homem e a natureza.

Casa de Vidro - Patio
Casa de Vidro - sala

3. MASP - Museu de artes de São Paulo (1982) -São Paulo – Brasil

O MASP (Museu de artes de São Paulo) é um marco da arquitetura moderna brasileira e um exemplo notável do Brutalismo

 

Ele foi o primeiro museu moderno brasileiro e ficava situado no centro da cidade de São Paulo. Entretanto, com o crescimento do seu acervo, o museu precisava de outro espaço. 

 

Foi então que o empresário e jornalista Assis Chateaubriand convidou Lina para projetar a nova sede localizado na avenida Paulista. Uma das condições impostas pelo doador do terreno e pela prefeitura era que fosse mantida a vista para o centro da cidade, pela avenida Nove de Julho.

 

Em função das exigências, Lina então tinha duas opções: a construção subterrânea ou suspensa. Ela escolheu pela suspensa, criando um edifício de linhas retas, superfícies ásperas, sem acabamentos e adornos, seguindo o estilo modernista

 

O elemento que mais se destaca na obra são as grandes colunas vermelhas de sustentação, deixando a vista livre pelo térreo, como era desejado.  

MASP - Foto interna
Masp - Exposição

Siga a Senplo nas redes sociais:

Continue Lendo

Explore nossa seção de conteúdo com artigos relacionados a arquitetura, desing, estilo, moda, conceito e muito mais!!