MENUMENU

ARQUITETURA | 2019

Zaha Hadid :
A inspiração natural interpretada
das curvas

  • Tempo de Leitura Aproximada : 7 Minutos

A arquiteta Zaha Hadid, também chamada de “rainha das curvas“, tem seu trabalho reconhecido por conta das obras elegantes e ao mesmo tempo complexas que construiu pelo mundo. 

Sua primeira formação foi em matemática na Universidade Americana de Beirute, no Líbano, e posteriormente na Architectural Association de Londres.  

Foi na Universidade que Zaha conheceu o professor Rem Koolhaas, bem como Elia Zenghelis, renomados profissionais com quem trabalhou e vieram a contribuir positivamente para a sua carreira como arquiteta. 

A parceria aconteceu durante os anos de 1977 a 1981, após a arquiteta se tornar membro do Office for Metropolitan Architecture (OMA)

Posteriormente, nos anos de 1980 Zaha Hadid decidiu que era a hora de abrir o seu próprio escritório. Dessa maneira, nasceu o Zaha Hadid Architects, que fez o seu nome e talento ser reconhecido mundialmente e de maneira meteórica. 

Zaha Hadid Retrato

“Há uma linha tênue entre elegância e vulgaridade, beleza e feiúra. Eu acho que o trabalho radical pode ser lindo ou horrível, mesmo que ninguém queira fazer coisas feias. O verdadeiro desafio da arte são as idéias.”.

Zaha Hadid

ARQUITETA

O sucesso foi comprovado pelos prêmios que recebeu quase que anualmente, acima de tudo provando a excelência de seu trabalho e sua forte influência mundial. 

Mais importante, a arquiteta foi a primeira mulher a receber o Prêmio Pritzker em 2004. Bem como, em 2008, figurou a 69ª posição da lista das 100 mulheres mais influentes eleitas pela revista Forbes.

 

Além disso, em 2012, foi eleita a Dama da Ordem do Império Britânico, uma das mais significativas honras do Reino Unido.

 

Ao longo da carreira foi contemplada 19 vezes em diversas categorias do Royal Institute of British Architects. Vale ressaltar que apesar dos inúmeros prêmios, ela enfrentou dificuldades, não apenas por ser mulher, mas também por ser árabe. 

 

Inesperadamente, Zaha Hadid veio a falecer precocemente, aos 65 anos, em 2016.

Sobre o que iremos falar neste artigo

VOCÊ PODE SE INTERESSAR TAMBÉM 

Matérias relacionadas

Com linhas ousadas e uma arquitetura pós-modernista ligada ao desconstrutivismo, Frank Gehry, se tornou um dos arquitetos mais aclamados do século XX.

Conheça a história de Tom Wright, arquiteto pós-modernista britânico, que é um dos expoentes da arquitetura contemporânea.

Conheça o arquiteto Santiago Calatrava, expoente da chamada “arquitetura-espetáculo”, devido aos seus projetos visionários que trazem o vidro e aço aplicados como esculturas gigantes.

Conheça os traços de Renzo Piano, arquiteto que tem no seu DNA obras inovadoras e completas em diversidade de escalas, materiais e formas.

Qual movimento estético influenciou a arquiteta?

No final da década de 80 surgia na arquitetura um movimento em oposição ao estilo moderno em voga, a fim de ter como principal característica a desconstrução das formas lineares e linhas ortogonais tradicionais da arquitetura. Dessa forma, foi junto a esse movimento que Zaha Hadid despontou no cenário da arquitetura.

Conhecida por suas obras com linhas futuristas, formas limpas e puras, bem como a fragmentação do desenho arquitetônico – características que mostram a influência da corrente desconstrutivista em sua carreira – as obras de Zaha Hadid transcendem de maneira inovadora as noções de arquitetura tradicional.

Seus projetos e discussões provocam assuntos que colocam a arquitetura e o seu futuro à prova. Isso por que a arquiteta busca em suas obras inter-relacionar design, arquitetura e urbanismo. Ela faz isso de uma maneira única, uma vez que demonstra constante preocupação entre paisagem, arquitetura e geologia.

Entretanto, apesar da genialidade em seus traços únicos, muitos de seus projetos arquitetônicos premiados, nunca saíram do papel. Todavia, os que foram construídos são reconhecidos como marco, principalmente como referência da arquitetura denominada “descontrutivista”.

Como Zaha Hadid desenvolveu seu próprio estilo?

Zaha Hadid tenta interpretar o propósito por traz da obra antes de iniciar o projeto. Dessa maneira, ela pesquisa novos e melhores caminhos para utilizar o edifício. 

As ideias surgem por meio da observação da natureza e das pessoas que se movem e vão utilizar o espaço. Desse modo, a ciência e a natureza sempre foram grandes inspirações para os seus traços.

Para idealizar o processo, seu primeiro passo é investigar a paisagem, a topografia e a circulação do local. Apenas dessa maneira é possível criar as linhas de conexões visuais e de movimento que se tornam evidentes na etapa de investigação.

Seus desenhos são feitos à mão desde o início de sua carreira. Ademais, as pinturas e croquis sempre serviram como ferramenta de análise e de pensamento para os arquitetos, pois permite a experimentação intensa da forma e do seu movimento. 

Entre os materiais mais utilizados pela arquiteta, sobretudo o concreto se destaca por conta de sua versatilidade em adquirir formatos inimagináveis. Como resultado, o uso de curvas e formas sinuosas se tornou um de seus principais traços no decorrer de sua carreira.

Em resumo, foi o seu fascínio pela arte abstrata, a ousadia em criar projetos que vão além do óbvio que tornaram seus projetos inconfundíveis, bem como a tornaram uma das profissionais de maior destaque no século 21.

•   A inspiração natural interpretada nas curvas

•   A quebra de paradigmas

•   A desconstrução do óbvio em busca da construção

do inusitado.

Como a obra de
Zaha Hadid inspira
a senplo

Siga a Senplo nas redes sociais:

Continue Lendo

Explore nossa seção de conteúdo com artigos relacionados a arquitetura, desing, estilo, moda, conceito e muito mais!! 

Lina Bo Bardi: Do conceito à pratica

O pensamento de Lina Bo Bardi teceu uma trajetória por dentro e por fora da cultura moderna, materializada na comunicação entre inovação e tradição, abstração e realismo…